sábado, 28 de abril de 2018

“Muitas mulheres, acreditando que o agressor pode mudar de forma milagrosa, retomam a relação conflituosa ou nela permanecem… ”




"A minha prática demonstra que muitas destas mulheres buscam ajuda na religião, mais especificamente com seus líderes religiosos, que, em sua maioria, além de compactuar com a violência vivida, a reforçam através de suas crenças religiosas. Neste sentido, a minha pesquisa buscou identificar e analisar a influência do cristianismo nas relações familiares violentas de mulheres católicas e evangélicas religiosas acolhidas nas Casas Abrigo Regional Grande ABC e de autores da violência contra as mulheres dos mesmos grupos religiosos. Compreender as consequências da violência na vida dessas mulheres, bem como identificar a influência da religião no exercício masculino da agressão e na sujeição feminina à agressão, foi o ponto chave desta pesquisa."

Entrevista com Claudia Maria Poleti Oshiro nesse link aqui


Nenhum comentário: